domingo, 17 de julho de 2016

Baden Cong a caminho


Demorei a me recuperar da partida de Chico - talvez nunca me recupere totalmente. Prometi a mim mesma não adotar mais nenhum gato. Andamos pensando em ter um cachorro - talvez um pastor alemão, talvez um boxer.
Então Bela acabou dando à luz oito filhotinhos. A ideia de ter um cão de raça foi sendo substituída pela adoção de um dos oito, mais precisamente do mais peludo e chorão deles - Cong. Que agora virou Baden Cong.
Na próxima semana, ele deve vir para cá, quando os irmãos seguirem para outros lares. Mas ele já nos conquistou com seu dengo, o jeitinho bamboleante de andar e sua mistura de urso de pelúcia e lobinho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Cabeceira

  • "Arte moderna", de Giulio Carlo Argan
  • "Geografia da fome", de Josué de Castro
  • "A metamorfose", de Franz Kafka
  • "Cem anos de solidão", de Gabriel García Márquez
  • "Orfeu extático na metrópole", de Nicolau Sevcenko
  • "Fica comigo esta noite", de Inês Pedrosa
  • "Felicidade clandestina", de Clarice Lispector
  • "O estrangeiro", de Albert Camus
  • "Campo geral", de João Guimarães Rosa
  • "Por quem os sinos dobram", de Ernest Hemingway
  • "Sagarana", de João Guimarães Rosa
  • "A paixão segundo G.H.", de Clarice Lispector
  • "A outra volta do parafuso", de Henry James
  • "O processo", de Franz Kafka
  • "Esperando Godot", de Samuel Beckett
  • "A sagração da primavera", de Alejo Carpentier
  • "Amphytrion", de Ignácio Padilla

Arquivo do blog